segunda-feira, 31 de março de 2014



COMUNICADO
O Instituto Rosa e Sertão comunicam a todos o encerramento das inscrições do Curso Introdutório de Condutor Ambiental na cidade de Januária-MG.


 Atenciosamente,
Instituto Rosa e Sertão
















terça-feira, 25 de março de 2014

Governador entrega prêmio Objetivos do Milênio a iniciativas de Minas Gerais

18h24min - 24 de Março de 2014 Atualizado em 18h28min

Governador entrega prêmio Objetivos do Milênio a iniciativas de sucesso em Minas

Realizado pela primeira vez pelo Estado, concurso tem 132 práticas participantes que contribuem para o desenvolvimento segundo desafios da ONU
Carlos Alberto/Imprensa MG
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
Primeira edição do Prêmio ODM Minas contemplou 15 práticas no Estado
O governador Antonio Anastasia entregou, nesta segunda-feira (24/03), na Cidade Administrativa, troféus e certificados a 15 práticas vencedoras do Prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Minas. É a primeira vez que o Estado realiza uma edição do concurso. As 32 práticas finalistas foram divulgadas em novembro de 2013 e os outros 17 finalistas receberam o certificado de participação.
O prêmio visa reconhecer iniciativas de prefeituras ou de organizações como ONGs, universidades, fundações, empresas e movimentos sociais que contribuem com o cumprimento das metas do Milênio. Além de valorizar os projetos, o concurso faz com que boas práticas sirvam de exemplos para regiões onde esses indicadores precisam ser melhorados.
“Quero cumprimentar a todas as entidades finalistas desse prêmio e gostei muito de observar que, dentre os finalistas, temos organizações da sociedade civil, temos prefeituras, universidades, empresas, ou seja, é a sociedade como um todo, em todas as suas facetas que aqui comparece. Isso é muito bom porque demonstra como estamos multifacetados nessa tentativa de melhorar e aprimorar nosso Estado e nosso País”, disse o governador Antonio Anastasia.
Ao todo, 132 projetos foram inscritos para análise de um comitê técnico formado por técnicos da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, Assessoria de Articulação, Parceria e Participação Social, Fundação João Pinheiro e membros do Movimento Nós Podemos Minas. Um júri composto por seis profissionais foi o responsável pela definição das práticas premiadas.
Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) são desafios estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em diversos indicadores sociais, como acabar com a fome e a miséria, reduzir a mortalidade infantil e combater a AIDS.
O coordenador do Programa Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil (Pnud), Jorge Chediek, destacou que Minas Gerais mostrou grande progresso nos últimos anos. “O Brasil como um todo melhorou o índice de desenvolvimento humano, em 20 anos 47%. Minas melhorou 52%, ou seja, mais do que o resto do Brasil e é um avanço notável a nível mundial. Além disso, Minas tem repactuado os ODMs, ou seja, o governador e equipe do Governo de Minas Gerais assumiram um compromisso de ir além dos objetivos globais, assumindo o compromisso de melhorar ainda mais a qualidade de vida da população mineira, que é também muito destacado e reconhecido globalmente”, disse Chediek.
O Prêmio
A edição mineira do concurso é uma parceria com o Prêmio ODM Brasil 5ª Edição, executado pelo governo federal. O regimento do Prêmio ODM Minas, suas etapas de seleção e os critérios de avaliação seguem as diretrizes do Prêmio Nacional. Todas as práticas inscritas no Prêmio ODM Brasil 5ª edição foram automaticamente inscritas na modalidade mineira.
“Os nossos agradecimentos àqueles que fazem parte deste momento de culminância de um processo rico, diverso e que reconhece, na diferença, os muitos que estão aqui hoje, mas que também estão lá fora em busca da transformação social. A todos que participaram do processo, muito obrigada. Este prêmio é muito importante para todos nós”, enfatizou Damiana Souza Campos, representante dos indicados ao prêmio. 
O lançamento da modalidade estadual do prêmio é um dos produtos pactuados no âmbito do Projeto de Cooperação Técnica Internacional, firmado entre o Pnud e a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), com o  objetivo de fortalecer a estratégia de redução da pobreza multidimensional e de promoção dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Estado de Minas Gerais.
Criado em 2004 pelo governo federal, o Prêmio ODM Brasil é fruto de parceria com o Pnud e com o Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós Podemos. Os projetos premiados recebem certificados que confirmam a contribuição para a promoção dos ODMs. O pacto para os Objetivos do Milênio foi assinado, em 2000, por 191 países e os objetivos devem ser alcançados até 2015.
Também participaram da solenidade de entrega dos prêmios o secretário nacional da Secretaria Geral da Presidência da República, Wagner Caetano; o deputado Dilzon Melo, representando o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Dinis Pinheiro; a secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, além de outros secretários de Estado, deputados, prefeitos e pessoas ligadas à causa social. 
Objetivos do Milênio
Em 2008, Minas Gerais já havia superado cinco dos oitos Objetivos do Milênio previstos para 2015: redução da fome e da miséria; promoção da igualdade entre homens e mulheres; redução da mortalidade infantil; o combate a AIDS, malária e outras doenças; e garantia da sustentabilidade ambiental.
Em julho de 2012, o Estado se tornou, segundo a ONU, a primeira região subnacional do mundo a propor e assinar novas e mais desafiadoras metas a serem cumpridas até 2015. Foi assinado um memorando de entendimento para a repactuação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, contendo novo conjunto de metas, e ainda cooperar para aprimorar o diagnóstico sobre a pobreza e as estratégias de enfrentamento da questão.
A intenção do Governo do Estado foi estabelecer compromissos com patamares de desenvolvimento humano e social mais arrojado. Minas incluiu um nono compromisso, que é mais segurança e tranquilidade para todos, com a adoção de ações visando à prevenção e ao combate à violência.

Fonte: Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/multimidia/galerias/governador-entrega-premio-objetivos-do-milenio-a-iniciativas-de-sucesso-em-minas-2/ 

O processo do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu é reconhecido pelo prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).



Discurso proferido durante a cerimônia de entrega do Prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), no Palácio do Governo em  Belo Horizonte.
24/03/2014

"Gostaria de cumprimentar  todos os presentes nesta mesa e direcionar os nossos agradecimentos àqueles que fazem deste momento a culminância de um processo rico, diverso e que reconhece na diferença aqueles muitos que estão aqui e lá fora em busca da transformação social.   Em especial, aos companheiros de Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, ao Ponto de Cultura Seu Duchim, Funatura,  prefeituras municipais da margem esquerda do São Francisco, gestores de áreas protegidas e ao FNMA e Fundo Socioambiental da CAIXA que acreditaram neste projeto.

Inicio a minha fala rememorando um momento ocorrido em 2008, quando iniciamos nosso primeiro projeto institucional, denominado Sertão dá flor. A ideia central era fomentar uma rede de mulheres, moradoras do Vão Buracos,  cânion de grande beleza natural e cultural, localizada ao lado de Chapada Gaúcha. Um vão que cisma cortar a Chapada cujo nome marca a hegemonia presente, mas não consegue esconder as vidas que nutrem das veredas. E, assim, propomos pensar a cozinha - lugar que só entra quem é muito chegado, onde estão às pessoas de bem querer das famílias sertanejas -, provocar as prosas e saberes que mobilizam as mais diferentes formas de ver, sentir e pensar o Cerrado.

Descíamos todas, a grande maioria mulheres [pois o Instituto Rosa e Sertão é uma organização não governamental de base feminina, mas que tem homens especiais ao nosso lado] com bacias na cabeça, banner e material para os cursos de frutos do Cerrado e de quintal. Este foi um dos primeiros projetos que direcionou suas formações e encontros para serem realizados na própria comunidade.

O Vão dos Buracos é a prova que aquele sertão foi mar um dia! É ali, tão bem descrito na obra Grande Sertão Veredas: que vemos um  lugar de sumir, de se esconder e não mais querer sair. O rio Pardo, um dos principais afluentes do São Francisco, é que faz as estradas. Quilômetros e quilômetros de veredas vão margeando as casas e como um cálculo segue em fileiras até sumir de vista.

O Cerrado, de lá de fora, nos ensinava as mulheres, era lugar de se panhar o pequi, as ervas do remédio, a cabeça de nego [ que hoje não existe mais], mas o Cerrado de cá de dentro, tem o pequi e o buriti. Do buriti fazemos tudo, com a sede se tira a corda, da palha se trança a esteira, do talo faz tapete ou descanso de mesa, do braço, aquela parte que segura suas folhas, se faz casa, cadeira, trate, e de seu fruto, ai não tem igual! Com farinha é prato de ir pra roça, com açúcar para se tomar café, das raspas faz suco, faz doce, e, como já dito pelo Rosa, onde tem buriti tem água. Água!!! Nestes últimos dois anos a seca castiga com mais força e a luta se torna constante pelas nascentes rodeadas pelos projetos de plantios de eucalipto, uso desenfreado de pivôs.

É deste lugar que extrapola qualquer descrição que aqui tentarei alcançar que trago honrosamente. Ele está dentro de mim e  está por todo o lugar, o sertão, o Gerais. Daí por diante,  pensamos os territórios, o Cerrado em si que tem sua força maior em pé na alma e no modo de pensar e viver o Gerais.

Se Minas são muitas o Gerais é diverso e lá e cá que a proposta apresentada para o ODM se mostra enquanto processo, pois não caberia outra forma, pois são 8 passos, 8 caminhos, 8 desejos. E somos sabedores que tem muita coisa sendo feita e construídas neste Brasil a fora e Minas e o Gerais estão juntos aqui hoje representando este movimento.

Das mulheres do Vão dos Buracos partiu o maior ensinamento, base todas as nossas ações: não há como não reconhecer um projeto de desenvolvimento  se não for pela valorização da Cultura e que os modos de vida estão intimamente ligados  à forma de se tratar a terra, de se pensar enquanto parte daquele ambiente. Ainda, que não se separa Cerrado, mas sim o identifica enquanto campos, tabuleiro, mata, Gerais, vazante e veredas.  Que cada ambiente há por aqueles que o habitam o pertencimento e reconhecimento de suas identidades mobilizadas enquanto geraizeiros, vazanteiros, fundos de pasto, catingueiros, veredeiros, enfim povos e comunidades tradicionais.

O projeto que temos a honra de apresentar enquanto processo e que aqui recebe o reconhecimento de estar entre as 30 iniciativas finalistas se baseia na busca de estabelecer relações de vizinhança entre povos e comunidades tradicionais e áreas protegidas. Ambos reconhecidos enquanto espaços também de preservação e de extrema relevância para biodiversidade.

O Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, embasado por uma política ambiental, visa à gestão integrada dos recursos naturais entre poder público (gestores das áreas protegidas), a sociedade civil, setor produtivo.  Grande peso desta  mediação se dá pela sociedade civil, organizações não governamentais, tanto no campo da pesquisa, intervenção, assessoria e mediação. Porém é dever do Estado dialogar junto conosco!

Fruto desta ação está o Plano de Desenvolvimento de Base Conservacionista (DTBC), gerido na época pela Funatura,  que reconheceu as linhas já existentes, como extrativismo, gestão das áreas protegidas e o Turismo Ecocultural. Pensar este último ponto, objeto do nosso projeto, é primeiramente pensar a valorização a cultura tradicional, é pensar um lugar melhor para aqueles que ali vivem, é entender que somente pela organização comunitária e a participação efetiva desde a sua concepção que garantirá os 8 passos, os 8 caminhos, os 8 desejos de termos um lugar melhor hoje!

Lá atrás, quando o Rosa e Sertão se reconhecia enquanto entidade cultural, enquanto Ponto de Cultura, um espaço geral de folias, tivemos a base para entender todas as ações coletivas existentes neste território, como parte deste processo. Hoje sou eu, Damiana Campos, coordenadora executiva do Rosa Sertão, que está aqui, mas que só pude estar aqui, falando do Gerais, neste espaço político importante, porque somos fortes enquanto Rede e grandes quando se fala em proteção destes territórios.

Esta fortaleza se faz diante ao avanço da fronteira agricultura, das liberações desenfreada de área para plantio impensadas de eucalipto, das grandes áreas de soja e capim e seu uso intensivo de agrotóxicos, das propostas de barramento do rio Carinhanha - um dos principais afluentes do São Francisco - e da situação agoniante do do nosso rio, Velho Chico. 

Neste sentido, Minas e o Gerais avançam quando decreta a lei estadual de Povos e Comunidades tradicionais de  Lei n.º 21.147 e sabe que é preciso a implementação das áreas protegidas. Mas atenção: estes projetos carecem de um olhar de perto e estaremos sim acompanhando..

Posso afirmar que Minas e o Gerais seguem no caminho para alcançar os 8 passos propostos nos ODM, mas temos um bom caminho pela frente. E, se me permitem apontar o 9º, indicaria  o reconhecimento do poder de conservação de povos e comunidades tradicionais que está atrelado a urgência da demarcação de seus territórios. Tiro como embasamento o que tão bem nos ensinaram as mulheres veredeiras: o território é a nossa cultura, é com ele que está nossa vida. 
Seguimos em busca do reconhecimento destas Culturas e pela transmissão dos saberes, caminhos certos que possibilitarão a transformação social".

Por: Damiana Sousa Campos
Coordenadora Executiva
Instituto Rosa e Sertão

terça-feira, 11 de março de 2014

Instituto Rosa e Sertão inicia a terceira fase do projeto Turismo Ecocultural com Base Comunitária no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu

Foto: Lester Scalon - Parque Nacional Grande Sertão Veredas

Prezados (as), 

O Instituto Rosa e Sertão e Fundo Socioambiental da CAIXA têm o prazer em informá-los (as) que a terceira etapa do Projeto “Turismo Ecocultural no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu” será iniciada com a realização da I Rodada de Capacitações para Condutores Ambientais, a acontecer nos polos Pandeiros, Grande Sertão e Peruaçu do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu.

O objetivo desta ação é sensibilizar e capacitar agentes comunitários, ambientais e gestores para a condução ambiental em áreas protegidas. Ainda, proporcionar um espaço de trocas e debates acerca das questões territoriais e socioambientais do território.

Vislumbra-se ampliar a rede de agentes sociais fomentada pelo projeto e provocar  iniciativas que potencialize a participação política e a organização comunitária, elementos estes, fundamentais para o desenvolvimento sustentável do nosso território.
Neste sentido, reafirmamos a importância da participação de todos e todas que desejam ou já atuam com esta temática.

 Informamos ainda que a participação no curso introdutório será um dos requisitos para as inscrições no Curso de Formação para Condutores Ambientais, com 200 horas/aula, a ser realizado em breve pelo Instituto Rosa e Sertão!


“Curso Introdutório para Condutores Ambientais em áreas protegidas” de 40 horas/aula.
*Será realizado gratuitamente e contará com entrega de certificados, ajuda de custo e alimentação.

Itacarambi

18 a 21 de março de 2014
Horário: 08:00 às 18:00
Local: Itacarambi
Inscrições locais: Luiz Carlos (Secretaria Municipal de Turismo)
Telefone (38) 3613 2659
Inscrições Rosa e Sertão: Diana Campos – (38) 3634-1463 – projetotbcmosaico@gmail.com diana.rosaesertao@gmail.com

*Polo Peruaçu: Iatacarambi, São João das Missões, Manga e Côcos/BA.

Januária

03 a 06 de abril de 2014
Horário: 08:00 às 18:00
Local: Januária
Inscrições locais: Debora Takaki (Secretaria Municipal de Meio Ambiente)
Telefone: (38) 3621 2656
Inscrições Rosa e Sertão: Diana Campos – (38) 3634-1463  projetotbcmosaico@gmail.com diana.rosaesertao@gmail.com


*Polo Pandeiros: Januária, Cônego Marinho e Bonito de Minas

Chapada Gaúcha

09 a 12 de abril de 2014.
Horário: 08:00 às 18:00
Local: Câmara Municipal
Inscrição locais: Patricia Baruffi e Edgar
(38) 3634 1537
Inscrições Rosa e Sertão: Diana Campos – (38) 3634-1463 – projetotbcmosaico@gmail.com diana.rosaesertao@gmail.com

*Polo Grande Sertão: Chapada Gaúcha, Arinos, Urucuia e Formoso.

Informações nos sites:





Realização: Instituto Rosa e Sertão
Financiador: Fundo Socioambiental da CAIXA
Parceiros: FNMA, Ministério do Meio Ambiente, Conselho Consultivo do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, FUNATURA e Prefeituras Municipais de:  Itacarambi, Januária e Chapada Gaúcha,Cônego Marinho, Bonito de Minas, Urucuia, Arinos, Manga, São João das Missões e Cocos/BA. 

Sementei a informação!

Atenciosamente,

Damiana Campos

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Abertura de processo seletivo - TdR 001/2014 do projeto Turismo Ecocultural de Base Comunitária no Mosaico SVP

Prezad@s,

O Instituto Cultural e Ambiental Rosa e Sertão abre processo seletivo para a contratação de profissional para o projeto “Turismo Ecocultural de Base Comunitária no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu” (Convênio:Caixa Econômica/Instituto Rosa e Sertão/FNMA). Sendo ele:
  • Termo de Referência 001/2014 – Contratação de Consultor e Instrutor (Pessoa Jurídica) para elaborar e ministrar 03 cursos introdutórios para Condutores Ambientais no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, sendo 40 horas/aula cada. E, 01 curso de formação para condutores ambientais de 200 horas/aula, seguindo a Instrução Normativa de nº 08/2008 do ICMBio.


Nos colocamos à disposição para quaisquer informações adicionais pelo telefone: (38) 3634-1463 / E-mail: projetotbcmosaico@gmail.com e rosaesertao@gmail.com / Blog:http://rosaesertao.blogspot.com.br/

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

TdR "Visitas de Intercâmbio" - Abertura de processo seletivo - ROSAESERTAO


INSTITUTO CULTURAL AMBIENTAL ROSA E SERTÃO
Convênio Caixa Econômica Federal / Instituto Rosa e Sertão / FNMA
Projeto Turismo Ecocultural de Base Comunitária no 
Mosaico Sertão Veredas – Peruaçu
Abertura de Processos Seletivos

Prezados (as),

O Instituto Cultural e Ambiental Rosa e Sertão abre processo seletivo para a participação da 1ª Visita de Intercâmbio a ser realizada no período de 13 a 18 de novembro de 2013, no Circuito Turístico dos Diamantes com o objetivo de imersão e conhecimento do funcionamento de experiências de Turismo de Vilarejo, Turismo Comunitário e Turismo em Unidade de Conservação para troca de experiências e conclusão de mais uma importante etapa do projeto “Turismo Ecocultural de Base Comunitária no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu” (Fundo Socioambiental da Caixa).
 
Objetivo: Seleção de 30 (trinta) participantes (Pessoa Física e Pessoa Jurídica) para a 1ª Visita de Intercâmbio a ser realizada no período de 13 a 18 de novembro de 2013, no Circuito Turístico Diamantino, com objetivo de imersão e conhecimento, do funcionamento de experiências de Turismo de Vilarejo, Turismo Comunitário e Turismo em Unidade de Conservação, bem como, para troca de experiências conforme previsto no projeto “Turismo Ecocultural de Base Comunitária no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu” (Fundo Socioambiental da Caixa), sob a execução do Instituto Rosa e Sertão.
 
Os interessados deverão encaminhar até o dia 04 de novembro uma ‘Carta de Intenções’ contendo (Nome completo, documento de identidade RG, CPF, grupo sanguíneo, endereço completo, telefones fixo, celular e de emergência, email, cidade, comunidade ou instituição que representa) conforme modelo definido por esse Edital, para o e-mail: projetotbcmosaico@gmail.com, com cópia para: rosaesertao@gmail.com ou correios para: Rua Serra das Araras, Centro, Chapada Gaúcha/MG, CEP: 39 314 000. 
 

O resultado será comunicado aos candidatos selecionados no dia 05 de novembro de 2013 por e-mail e telefone.
 
Estamos à disposição para quaisquer informações adicionais:
 
Telefone: (38) 3634-1463 / (38) 9814-7111 / 9979-7630

Atenciosamente,

---
Tereza de Jesus Silva
Presidenta
 
Damiana Campos
Coordenadora Executiva

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Caravana lítero-musical e Ponto de Cultura Seu Duchim em mais uma ação

 
 

 Será nesta sexta feira, na boquinha da noite, em Chapada.
A união de várias ações culturais com uma programação cultural deliciosa - Caravana lítero-musical, Ponto de Cultura Seu Duchim, CRAS, Biblioteca Municipal, Escolas Públicas

músicos, poetas, circenses, palhaços.
Que nossas ações coletivas transformem os espaços públicos também em espaços poéticos!

 

 
 

 
 

 

 

 

segunda-feira, 29 de julho de 2013

I Encontro Regional da Rede Cerrado - Minas Gerais e Bahia

 
 
 
Os Encontros Regionais da Rede Cerrado são uma realização da Rede Cerrado, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, e ocorrerão em 5 diferentes regiões do Cerrado durante o 2º semestre de 2013: Chapada Gaúcha-MG (regional MG e BA), Chapada dos Veadeiros-GO (regional DF e GO), Campo Grande-MS (regional MT, MS e SP), Tocantínea-TO (regional indígena) e Augustinópolis-TO (regional MA, TO e PI).
 
O I Regional aconteceu entre os dias 11 e 13 de julho de 2013, no município da Chapada Gaúcha (MG). Este evento somou a programação cultural e política do XII Encontro do Grande Sertão Veredas, realizado há 12 anos no Sertão Nortemineiro.
 













 Grupos de Trabalho:



















Conflitos socioambientais
Produção Agroextrativista

Áreas Protegidas no Cerrado




















Fotos: André Fossati/Instituto Rosa e Sertão

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Giros de Folia em Noites de Reis


 
O espetáculo Giros de Folia em noites de Reis traz o imaginário das Festas de Santos Reis no norte de Minas Gerais. Comemora-se três anos do Ponto de Cultura Seu Duchim (Minas Gerais) com pesquisa, experimentação e fruição tendo como inspiração os modos de vida de povos e comunidades tradicionais do Sertão nortemineiro.

O espetáculo conta com quatro atos: o primeiro os corpos em movimento traduz a boiada como imagem simbólica dos giros pelos Gerais. Nesta cena o boi se mistura com a vida do vaqueiro e, em prosa e verso de amor, seduz o brincante.
 
No segundo ato o Canto Coral, Manuelzinho da Crôa, entoa as cantigas cantadas nos terreiros das casas após o cantorio do Reis. Abre passagem para o terceiro ato, em que as caixas de Reis e suas caixeiras tocam e cantam batuques e lundus. Entre versos e desafios as caixas tomam vidas e irradiam energia e fortaleza. Ao som do pífano, o quarto ato se encerra transcendendo o imaginário das brincadeiras de roda, dos sons e dos giros de Folia.




Fotos: http://www.flickr.com/photos/encontrosertaoveredas/9321586204/in/set-72157634612949304/
 
Ficha Técnica
Produção Artística
Daiana Campos, Ladyjane Mendes Macêdo e Gustavo Meyer

Canto- Coral
Daiana Campos

Grupo de Caixa de Folia
Fabiana Lima e Bruno Andrade

Grupo de Pífanos
Gustavo Meyer

Corpo de Dança
Ladyjane Mendes Macêdo

Paisagem Sonora
Tomás Dornelles Piccinini

Assistente de Produção Artística
Laiane Santos Mota

Figurino
Ponto de Cultura Seu Duchim

Fotografia
Netun Lima


Músicas
Toque de Lundu e voz Griô Folião de Reis Seu Zé Caçote- Caixeiro
Toques de Viola – Família Sons do Urucuia

Repertório Manuelzinhos da Crôa
Olererê Baiana – Domínio Público
Música: Daiana Campos, Tio Neco e Camila Medeiros

Flor da Ingazeira
Domínio Público

Eu Caio, eu caio, eu caio
Domínio Público

Eu tava na peneira
Domínio Público

Eu vi o sol
Domínio Público


Repertório Pífanos

Calix Bento
Milton Nascimento

Tupyzinho
Carlos Malta

Pife das Garotas
Gustavo Meyer

Pagode Russo
Luiz Gonzaga

Chegança
Antonio Nóbrega

Participantes das Oficinas
Adrielly Gonçalves da Silva
Alice Viana de Sousa
Amanda Alves Barbosa
Andressa de Almeida Signor
Agnes Marina da Silva Feitosa
Ana Carolina Nogueira Cirino
Bruna Vasconscelos
Bruno Lopes Barbosa
Caio Ribeiro Negreiro
Cristiele Soares Machado
Daiana de Sousa Campos
Diana de Sousa Campos
Danielly Barbosa Pereira
Emilia Aparecida Nogueira
Isabela Cristina Pereira Marques
Karen de Lima Gomes
Keila Gomes Rodrigues
Kenia Gomes Rodrigues
Laiane Santos Mota
Lígia de Oliveira Santos
Lucas Emanuel Campos Cardoso
Luciene Carneiro dos Anjos
Luan Barbosa Rodrigues
Lorrany Gonçalves da Silva
Monique Vertelo dos Santos
Mariana Aparecida dos Santos
Maurício Junior Francisco Santos
Maria Clara Nogueira Cirino
Milene Souza Pereira
Nathália Lauxen
Raissa Aparecida Marques dos Santos
Ramone Oliveira de Souza
Renata Macedo Silva
Rodrigo de Jesus Santos
Thaiane Lauxen
Thais Rodrigues Teixeira
Viviani Alves de Oliveira

 Realização
Ponto de Cultura Seu Duchim - Instituto Rosa e Sertão
Parceria
Ministério da Cultura e Secretaria de Estado de Minas Gerais de Cultura